sexta-feira, 6 de março de 2009

Os setes Juízos de Deus (Parte II)

A paz do Senhor Jesus Cristo, quero vos compartilhar a palavra do Senhor Deus ; o nosso pão diário.

Tema : “O Senhor justo juiz” (2 Timóteo cap 4 v 8b)

Titulo : Os setes Juízos de Deus (Parte II)

Introdução : No primeiro juízo falamos como Deus julgou a humanidade, por causa do pecado original (pecado de Adão), agora falaremos sobre o viver diário do crente na pessoa bendita de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo; pois o segundo juízo fala do nosso próprio julgamento.

2º Juízo → Julgando a nós mesmo
“Mas, se nós nos julgássemos a nós mesmos, não seríamos julgados;” (1 Cr 11v31)

Comentário : Neste texto sagrado vemos a harmonia entre as palavras do Senhor Jesus em (Mateus cap 7 v 1), pois diz : “Não julgues para não ser julgado” e no verso (5), diz “Primeiro devemos tirar a trave dos nossos olhos para só depois tirar o cisco do olho de nosso irmão”. Pois o segundo juízo trata de nosso próprio julgamento.

• Exemplo Bíblico → Fariseu e o Publicano
“Dois homens subiram ao templo para orar; um fariseu, e o outro publicano.
O fariseu, de pé, assim orava consigo mesmo: ó Deus, graças te dou que não sou como os demais homens, roubadores, injustos, adúlteros, nem ainda com este publicano.
Jejuo duas vezes na semana, e dou o dízimo de tudo quanto ganho.
Mas o publicano, estando em pé de longe, nem ainda queria levantar os olhos ao céu, mas batia no peito, dizendo: ó Deus, sê propício a mim, o pecador!
Digo-vos que este desceu justificado para sua casa, e não aquele; porque todo o que a si mesmo se exaltar será humilhado; mas o que a si mesmo se humilhar será exaltado.”
(Lc 18 10-14)

• Exemplo Bíblico → O ladrão na cruz
“Então um dos malfeitores que estavam pendurados, blasfemava dele, dizendo: Não és tu o Cristo? salva-te a ti mesmo e a nós.
Respondendo, porém, o outro, repreendia-o, dizendo: Nem ao menos temes a Deus, estando na mesma condenação?
E nós, na verdade, com justiça; porque recebemos o que os nossos feitos merecem; mas este nenhum mal fez.
Então disse: Jesus, lembra-te de mim, quando entrares no teu reino.
Respondeu-lhe Jesus: Em verdade te digo que hoje estarás comigo no paraíso.” (Lc 23v 39-43)

Conclusão : Concluo este juízo, trazendo uma advertência de extrema importância, tal advertência é : não nós julgarmos a pessoas alheia, mais quando nós nos julgamos tal qual, as palavras de Deus pelo Apostolo Paulo “quando, porém, somos julgados pelo Senhor, somos corrigidos, para não sermos condenados com o mundo.”
(1 Cor 11v 32). Quando nos julgamos,Deus nos corrigirá em vida, para não sermos condenados, junto com os desobedientes a sua palavra e vontade.

Ev.Eli Hudson
Ass.Deus M.Perus

Nenhum comentário:

Curas e Milagres

Loading...

Arrebatamento

Loading...