segunda-feira, 24 de setembro de 2012

O LEGADO DE ABRAÃO E DE ISAQUE


A paz do Senhor Jesus Cristo a todos! Quero vos compartilhar a palavra do Senhor Deus; nosso pão diário.
 
Tema: Genesis cap 22 v 2
 
Toma agora o teu filho, o teu único filho, Isaque, a quem amas, e vai-te à terra de Moriá, e oferece-o ali em holocausto sobre uma das montanhas, que eu te direi
 
Titulo: O legado de Abraão e de Isaque
 
ESBOÇO:
• A EXPERIÊNCIA VIVIDA POR ISAQUE
• O QUE APRENDEMOS NO SACRIFÍCIO
• A PROVA NOS FAZ CRESCER
• UMA SOMBRA FUTURA DO AMOR DE DEUS
• CONCLUSÃO
 
Introdução: Segundo estudiosos da Bíblia Sagrada, Isaque tinha entre vinte e cinco anos a trinta anos de idade na ocasião que viveu sua maior experiência com o Deus de seu pai Abraão, para mim é importante se frisar esta idade para sabermos discernir e compreendermos o ato de adoração de Abraão e de Isaque naquela ocasião, pois, Abraão não estava levando uma criança indefesa para o altar que não saberia se defender de seu pai, pelo contrario, ele estava levando um rapagão capaz de se defender e perfeitamente capaz de distinguir o que estava ocorrendo ali na montanha de Moriá, e para confirmar a referencia de sua idade, basta observar o fato de ter carregado a lenha do sacrifício montanha acima, conforme diz o texto sagrado (Genesis cap 22 v 6). Meus irmãos acompanhem agora uma experiência que impactou a vida deste rapaz chamado Isaque, e que até agora tem impactado a vida de todos aqueles que carregam dentro de si, a mesma fé que estava sobre Abraão e sobre Isaque e com certeza Deus o Pai, deseja que está mesma fé, venha brotar em vossos corações.
 
• A EXPERIÊNCIA VIVIDA POR ISAQUE
   Havia algo diferente no ar, e o sacrifício não parecia seguir sua liturgia comum, pois, o lugar era distante sendo uma caminhada de três dias, até que o monte fosse revelado a Abraão, para os servos de Abraão que de igual modo eram crentes no Deus de Abraão, foi lês privado de fazerem parte daquele ato de adoração, todos perceberam a ausência do cordeiro, pois, afinal Abraão nunca se esquecia do cordeiro em seus sacrifícios, todavia, o silencio foi quebrado por Isaque, ao dizer ao seu pai: A lenha e o fogo estão aqui, todavia, onde está o cordeiro? Abraão mesmo estando tão próximo do sacrifício, nada revelou ao seu Isaque, mas, disse: “O Senhor proverá para si o cordeiro”.
   Abraão não tinha duvida da revelação, de Deus ao seu respeito e a respeito de seu filho Isaque, mas, como dizer a Isaque a revelação de Deus para ele? Tal como: Isaque, hoje você será o sacrifício! Abraão não sabia como Deus providenciaria um novo cordeiro, todavia, sua fé permanecia inabalável, e seguia para seu desfecho final. De fato Deus agiu no tocante as palavras que ele disse a Isaque acerca da providencia Divina, mas, não imaginava que teria imediata resposta. Isaque até aquele momento não tinha idéia da experiência que viveria no monte da adoração, mesmo notando a ausência do cordeiro, entretanto, logo percebeu que o cordeiro estava ali desde o inicio da jornada e ele era o cordeiro que seu pai ofereceria ao Senhor seu Deus e seu de igual modo, pois, o seu pai o amarrou, o colocou no altar e com seu cutelo bem amolado levantou seus braços para tirar-lhe a vida e cumprir com obediência aquilo que Deus o requereu. Para Abraão o seu filho Isaque era seu bem mais precioso, mas, isto ficou provado que antes de Isaque, Deus foi e ainda é a maior riqueza de Abraão.
   O Deus da providencia se manifestou a Abraão na montanha de Moriá, confirmando as palavras ditas por Abraão ao seu respeito quando disse: “Isaque Deus há de providenciaria para si o cordeiro”, e antes que Abraão concluísse seu ato de fé e obediência, Deus deu ordem ao seu anjo que bradou na montanha da adoração na hora do sacrifício: “Abraão não estenda as suas mãos sobre o moço e não lhe faça nada, porquanto agora sei que temes a Deus e não negaste o teu único filho” (Genesis cap 22 v 11-12). Louvado seja Deus, por Abraão que não negou seu Isaque, Louvado seja Deus, por Isaque que aceitou sem reclamar a posição de fidelidade de seu pai, e se submeteu com obediência e silencio; Louvado seja sempre e sempre o Senhor Deus que não permitiu tal ação e que providenciou um cordeiro para Abraão adorá-lo. Meus irmãos quero aqui abrir um parêntese no tocante ao sacrifício de Abraão e perguntar: Por acaso, Deus tinha duvida da fidelidade de Abraão? Então por que Deus o provou até este ponto? A resposta na Bíblia é nos revelada, ao analisarmos as palavras de espanto e alegria do anjo de Deus a Abraão: Agora eu sei que temes a Deus e que não negaste o seu único filho (Genesis cap 22 v 11-12), quero com isto ressaltar, que os planos de Deus ao nosso respeito transcendem os limites naturais, físicos e ultrapassa as esferas espirituais e é ouvido e percebido na eternidade, lugar onde Deus habita com seus santos anjos. Pois, assim com Deus nos assiste, Ele em seu eterno poder e saber permite que uma multidão de testemunhas conforme diz o texto sagrado no livro de Hebreus cap 12 v 1, também, nos assistam; e isto, em nossas alegrias e desventuras, e ainda diz o texto sagrado que somos feitos por Deus como, espetáculos com vitupérios e participantes das aflições daqueles que já sofreram ( Hebreus cap 10 v 33).
   É importante dizermos que Deus, conhecia a Abraão e sabia que ele não negaria seu Isaque, todavia, os anjos de Deus desconheciam este fato, e o que não dizer do próprio Isaque, que ficou marcado, pelo tamanho da fidelidade de seu pai, diante de seu Deus e Senhor, sim, meus amados Isaque acabara de receber um legado sem tamanho de seu pai Abraão, e isto, ele não ouviu falar nem precisou que alguém o contasse, pois, sentiu na pele a experiência e assim como Abraão ouviu a voz do anjo eu creio que ele de igual modo, percebeu as palavras de espanto e de alegria do anjo do Senhor ao dizer: “Agora eu sei, que temes a Deus”, não meus amados não foi a mãe de Isaque que acabara de lhe contar, tal como: Ei Isaque seu pai é fiel, também não foi o mordomo e amigo de seu pai o Damasceno Eliézer a lhe dizer: Ei Isaque o seu pai é fiel, não meus irmãos; Isaque viu a fidelidade de seu pai com seus próprios olhos no momento que ele levantou seus braços com o cutelo para imolá-lo, e foi com seu próprios ouvidos que ouviu o espanto do anjo de Deus a dizer: “Não faças tal, pois, agora eu sei que temes a Deus, porquanto não negaste seu único filho” (Genesis cap 22 v 11-12).
   Meus amados está verdade devem estar sempre diante de nós, pois, assim como um dia Deus chamou a Abraão, Isaque e Jacó Ele também nos chamou, e assim como estes homens demonstraram fidelidade que ecoou na eternidade e que até agora é ouvida, Deus deseja encontrar em nós estas mesmas virtudes e sentimentos para com Ele, pois, como revela o texto sagrado, uma tão grande nuvem de testemunhas nos rodeia e atentamente observam nossas atitude para com o Deus que se revelou a nós na pessoa de seu Filho Jesus Cristo. Isaque até aquele momento tinha uma visão simples no tocante aos seus expectadores invisíveis, parecia que só Deus acompanhava sua trajetória e história, mas, não foi isto que ser revelou no texto sagrado, pois, o anjo bradou com espanto e alegria na hora do sacrifício e sua voz foi ouvida “Agora eu sei”, meus queridos este não foi o único exemplo nos deixado nos textos sagrados acerca da fidelidade dos homens e como elas são ecoadas na eternidade; vejam o testemunho de Daniel dito pelos anjos “Daniel homem mui amado no céu” (Daniel cap 9 v 23), sim, meus irmão os anjos olhavam para Daniel da eternidade e o amava por causa da sua fidelidade. Porem, irmãos ao analisarmos isto, também, encontraremos o Apostolo Pedro dizer “Vigiai, pois, o diabo anda ao derredor bramando como um leão, procurando a quem possa tragar” (1º Pedro cap 5 v 8), logo, não somente os anjos de Deus nos assistem, mas, também o diabo com seus demônios, a procura de pessoas que aderem a infidelidade, a desobediência e rebeldia ao Senhor Deus. Lembre-vos de Adão e de Eva no Jardim do Éden que foram seduzidos pela serpente e levado a perda da comunhão com Deus e a morte física por sua infidelidade. Mas, estes não são os únicos a nos observarem, pois, todos nós somos assistidos por nossas famílias, parentes, amigos, conhecidos ou desconhecidos, sim, todos estão a olhar para nós. Mas, por que eu pergunto? A resposta esta no chamado que recebemos de Deus, para nos tornarmos sua herança e possessão assim como foi Abraão, Isaque e Jacó, e se temos aceitado este chamado, logo, assumimos uma nova condição e posição diante de Deus, dos seus santos anjos, diante dos seres das trevas (demônios) e diante da sociedade, agora somos filhos de Deus, as pessoas mais ilustre da terra, um povo que por Deus é chamado de santo, especial, zeloso e de boas obras, somos embaixadores do céu, somos cristão, ou seja, parecidos com Jesus Cristo, somos uma nação sacerdotal, somos a igreja, coluna e firmeza da verdade, somos muitos, porem constituídos em um só corpo, somos um povo que recebeu do seu Mestre e Salvador poder para curar todas as doenças e enfermidades e expulsar todos os demônios e vencer as portas do inferno no nome de Jesus Cristo (1º João cap 3 v 2; Tito cap 2 v 14; 1º Pedro cap 2 v 9; cap 4 v 16; 1º Timóteo cap 3 v 15; 1º Coríntios cap 12 v 12, 27; Lucas cap 10 v 19; Mateus cap 16 v 18).
   Logo, se antes eu era impuro agora eu sou puro, se antes eu era amante de mim mesmo, agora eu amo a Deus sobre todas as coisas, se antes eu fazia tudo que me vinha a minha mente, agora eu busco os pensamentos de Deus revelados em sua palavra (Bíblia Sagrada), sim, saímos da condição condenável, para condição de salvação, saímos do lodo onde existe o fedor do pecado e da morte, para a condição de firmeza e sustentação na Rocha que é o Senhor Jesus Cristo e passamos a exalar o bom cheiro de Cristo, sim, deixamos a condição de pobreza e miséria espiritual e em Deus nos tornamos ricos (Salmos cap 40 v 2-3; Salmos cap 113 v 7-8 2º Coríntios cap 2 v 15; Tiago cap 2 v 5). E se todas estas maravilhas no sobrevieram ao passo que aceitei o chamado de Deus Jesus; como então os olhos de todos não estarão fitos em nós, pois, antes andávamos sem esperança, porem, agora andamos com esperança, antes andávamos como medo, porem agora seguros em Deus Jesus, porquanto Ele nos disse “Todo o que o Pai me dá virá a mim; e o que vem a mim de maneira nenhuma o lançarei fora” (João cap 6 37). Amados, somos agora filhos de Deus, irmãos e irmãs do Senhor Jesus Cristo, e participantes de sua natureza, (Marcos cap 3 v 35), pois, o seu Santo o Espírito em nós veio habitar por meio da sua graça e favor, antes éramos trevas, todavia, agora somos luz, disse o Senhor Jesus: “Como podereis esconder uma cidade edificada sobre uma montanha” (Mateus cap 5 v 14), o Senhor Jesus é a nossa montanha e Nele estamos edificados e firmados, como então; nós que Nele estamos firmados, não seremos vistos ou assistidos por todos.
   O fato é que Deus quis e ainda quer mostrar e revelar a fidelidade de seus filhos a todos aos que os assistem. Deus meus queridos não deve explicações a ninguém, pois, diz o texto “Quem intentará acusação contra os escolhidos de Deus, se é Ele quem nos justifica” (Romanos cap 8 v 33), todavia, é prazeroso para Deus, testificar a fidelidade de seus santos e amados na eternidade, porquanto Deus em Abraão mostrou e disse sem palavras aos seus anjos “Este meu escolhido é fiel e Isaque seguiras seus passos”, em Daniel Ele disse aos seus anjos este Daniel é meu amado, em Jó Ele disse a Satanás, disse a esposa de Jó, disse aos amigos de Jó e também disse aos anjos de Deus na eternidade “Este meu filho Jó é fiel a mim independente das circunstâncias” (Jó cap 1 e 2). Diante disto eu pergunto: E a mim e a você que aceitamos ao Senhor Jesus como Deus e Senhor seremos diferentes? Acaso é outro Deus que temos crido ou aceitado? Pois, se Deus nos fez espetáculos conforme a sua palavra, com certeza havemos de sermos provados, como foram seus servos no passado.
 
• O QUE APRENDEMOS NO SACRIFÍCIO
 Aprendemos no sacrifício que a nossa fidelidade a Deus é vista diante dos expectadores, visíveis e invisíveis;
 Aprendemos no sacrifício que as duvidas ao seu respeito são dissipadas;
 Aprendemos que no sacrifício são revelados todos aqueles com quem podemos contar;
 Aprendemos no sacrifício que Isaque conheceu o tamanho da fidelidade de seu pai diante de seu Deus, e não somente ele mais até os anjos conheceram;
   Logo, diante da revelação dos sacrifícios e das ofertas, fica impossível dimensionar a ação de um rapaz em oferecer ao Senhor Jesus “Cinco pães e dois peixinhos” (João cap 6 v 9), pois, deu para Deus tudo o que tinha em mãos e atendendo assim o chamado logo que lhe foi solicitado, eu fico a imaginar  talvez, os discípulos correndo a multidão a dizer: “Alguém de vocês tem alguma coisa para se comer” ou ainda “O Mestre está solicitando o pão do primeiro voluntário”. Mas, espere ai, alguém disse: penso eu: “Eu só tenho um pedacinho, só da para mim”, ou ainda “Não era de graça os milagres e os seus discursos; já começou cobrar!”. Mas um rapaz se prontificou, “Ei discípulo: eu tenho aqui cinco pães e dois peixinhos; levem para o mestre”. Com certeza depois do milagre da multiplicação, alguém pensou deixei de ver meu pão se transformado em milhares e alimentar multidão. Com isto, eu volto em Abraão e reflito: qual de nós ao oferecer para Deus um sacrifício ou uma oferta, não se alegraria em ouvir o anjo de Deus bradar “Agora eu sei que você é fiel”. Ainda fico a pensar na oferta da viúva, que no baú das ofertas na casa de Deus, colocou duas pequenas moedas, pois, enquanto os ricos colocavam muito dinheiro ali, veio uma viúva, e depositou todo seu sustento disse o Senhor Jesus (Lucas cap 21 v 1-4), meus queridos, qual de nós, não sentiríamos prazer em ver o testemunho do Senhor Jesus a dizer: Eu me agradei do seu sacrifício, Eu recebi esta sua oferta, e não foi pelo valor ofertado, mais pela sua fidelidade e prontidão em colocar tudo o que tinha no baú de Deus.
 
• A PROVA NOS FAZ CRESCER
   Meus irmãos, os resultados de toda provação e desafios alem de trazer para Deus louvor na eternidade, em nós reflete em benção e crescimento espiritual ao passo que provamos a Fidelidade de Deus para conosco, ou quem duvidaria que o rapaz que deu os cinco pães e seus dois peixes para Deus Jesus, hesitaria no futuro em lhos dar novamente outros pães ou peixes. Voltemos em Abraão e Isaque, vejam o que Deus lhes proferiu após o seu ato de fé e obediência.
Genesis cap 22 v 16-18
Porquanto fizeste esta ação, e não me negaste o teu filho, o teu único filho, deveras te abençoarei, e grandissimamente multiplicarei a tua descendência como as estrelas dos céus, e como a areia que está na praia do mar; e a tua descendência possuirá a porta dos seus inimigos; e em tua descendência serão benditas todas as nações da terra; porquanto obedeceste à minha voz.
   Deus estava dizendo: Abraão eu estou confirmando as minhas promessas mais uma vez a você, e tu Isaque será a herança de teu pai Abraão, eu vou te multiplicar de forma tão grandiosa que não haverá lugar que você não possua e até as portas dos seus inimigos serão tomados por seus descendentes, e em ti todos os habitantes da terra serão abençoados. E isto se confirmou em Jacó filho de Isaque que por sua vez teve doze filhos, sendo que, um dos seus filhos chamou-se Judá o qual da sua descendência nos nasceu o Salvador, a saber, Jesus o Cristo Nele todas as famílias da terra são abençoadas por crerem no seu nome. Meus queridos, Deus continuou a abençoar a Isaque enquanto viveu, e de fato o foi fruto de suas experiências passadas que teve no monte da provisão onde Deus se manifestou a eles lhes provendo um cordeiro para adoração.
   Para tanto, perceba o resultado desta experiência logo a frente, na ocasião que habitou na terra de Gerar onde Deus o fez prospero e muito rico naquela terra, mas, assim como lhe veio as benção de Deus também, lhe veio a inveja dos habitantes daquela terra (os filisteus), que por sua vez entulharam todos os poços de água de Isaque. Porem, Isaque tornou a cavar até que achou águas vivas, mas, os moradores da terra de Gerar contenderam por aquele poço e Isaque, deixou aquele poço para eles cujo nome é Eseque, e tornou a cavar um novo poço e tornou a achar águas e novamente houve contenda pelo poço, que por sua vez lhes deixou cujo nome é Sitna, e partindo dali cavou outro poço, porem, agora não houve contenda pelo poço e chamou aquele poço de Reobote, dizendo o Senhor nos alargou (Genesis cap 26). Agora eu pergunto: Será que Isaque deixaria de cavar poços, sendo que seu Deus é o Deus da provisão? Como ele deixaria de crer que Deus lhe faria achar água, visto que a promessa de Deus para ele era de crescimento e prosperidade! Porquanto assim como Deus não permitiu sua morte no monte da adoração lhes provendo um cordeiro, Isaque cria que não importaria o lugar Deus faria brotar águas vivas para que ele, para sua família, para seus servos e servas e para todos os seus animais beberem dela, e isto falo, por causa da promessa de Deus feita a ele; sendo que, todas estas promessas também são para ti e para mim, que acreditamos no Deus de Abraão o Pai de Nosso Senhor Jesus Cristo.
 
• UMA SOMBRA FUTURA DO AMOR DE DEUS
   O ato de Abraão em ofertar seu Isaque foi mais que um ato de adoração e obediência, e sim uma sombra futura do sublime amor de Deus, pois, Isaque neste ato representou tipologicamente o Salvador Jesus num futuro até então desconhecido para eles, mas não para nós no século presente. E para enxergarmos isto, basta olharmos para Isaque, pois, como vos informei no principio, tratava-se de um homem consciente e perfeitamente capaz de distinguir o que estava ocorrendo ali em virtude ao ato do sacrifício, mas, com um cordeiro mudo não reclamou ao seu pai, nem quis se defender ou tentou fugir, pelo contrario aceitou o seu fardo, e quando olharmos para o Salvador Jesus, o veremos como Isaque aceitando o seu fardo sem reclamar e como uma ovelha muda o Senhor Jesus não abriu sua boca, e do mesmo modo que o Senhor Jesus carregou o madeiro a cruz, Isaque também carregou a lenha que serviria para seu martírio. Isto também, nos faz pensar no por que Abraão nada revelou a Isaque até aquele momento, pois, assim Isaque estaria inocente até que lhe fosse revelado que ele seria o sacrifício.
   Meus irmãos o fato de Deus ter dito seu único filho, repetidamente por três vezes, (Genesis cap 22), também confirma, que não se tratava de um ato de adoração apenas, mais de uma mensagem profética acerca do Messias o Salvador do mundo, uma sombra futura do amor de Deus, que haveria de ser revelado a humanidade, e tanto é sólido esta alegoria ou representação, pelo fato de Deus ter providenciado um cordeiro para ser morto no lugar da vida de Isaque, sendo que; este cordeiro providenciado por Deus a Abraão representava o Salvador Jesus, que em breve seria morto pelo pecado da humanidade; porquanto disse o Apostolo João: Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna (João cap 3 v 16). Meus amados como Abraão e de Isaque compreenderia aquilo que Deus os havia pedido? Visto que, tratava-se de algo futuro! Sim, estava muito alem de seu tempo, algo que haveria de ser esclarecido, todavia, para nós foi revelado através dos Evangelhos, onde perfeitamente enxergamos o Amor de Deus por toda a humanidade ao nos dar seu unigênito, santo e imaculado para na sua morte nos remir de toda iniqüidade. Amado leitor este amor e perdão você só poderá sentir se crerem e aceitarem ao Senhor Jesus como seu Senhor e Salvador pessoal; creia e o aceite agora mesmo!
 
Conclusão: Um legado de fé e obediência foi nos deixado por Abraão e Isaque, e logo que fico a meditar nisto, não é de se surpreender o porquê Jacó, tomou isto de seu irmão Esaú, porquanto Esaú, sendo o herdeiro deste legado, visto que nasceu primeiro, todavia, não valorizou está herança de fé e obediência, e não querendo batalhar pelas bênçãos de seu avô Abraão e seu pai Isaque, vendendo assim a Jacó seu irmão o direito de primogenitura (Gênesis cap 25 v 31-32). Já Jacó, desejou todas estas benção, lutou por elas, fugiu por elas, creu nelas e ensinou seus doze filhos também, acreditar nelas e como Abraão e Isaque tornou-se um herói, e de Deus recebeu o nome de Israel, pois, como príncipe lutou com Deus e com os homens e prevaleceu (Gênesis cap 32 v 28), portanto meus irmãos se são filhos de Abraão por meio da fé lutarão pela causa do Evangelho do Senhor, pois, disse Jesus:“Abraão me viu e se alegrou” (João cap 8 v 56).
 
Ev. Eli Hudson
Assembléia de Deus
 

Nenhum comentário:

Curas e Milagres

Loading...

Arrebatamento

Loading...